MISSÕES

Missões são iniciativas religiosas destinadas a propagarem os princípios do Cristianismo entre povos não cristãos. Se baseiam em princípios da teologia cristã em imitação do ministério de Jesus Cristo e em cumprimento do mandamento que deu aos seus apóstolos para pregarem o Evangelho pelo mundo. Mas, além de serem simples ministério da palavra, as missões se estruturam ou inserem em comunidades estáveis e procuram integrar, com maior ou menor sucesso, os princípios cristãos com a realidade de vida dos povos em que se implantam. Dessa forma, ultrapassam a esfera religiosa e assumem uma dimensão social, econômica, educativa, assistencial e, muitas vezes, também artística e cultural.
O primeiro grande missionário foi Paulo de Tarso, que contextualizou a doutrina de Cristo para um público greco-romano, permitindo que ela transcendesse suas raízes judaicas. Desde então, seu exemplo foi seguido por um sem-número de outros religiosos ao longo dos séculos, mas, historicamente, muitas missões exerceram um impacto cultural destrutivo sobre os povos evangelizados, suprimindo ou transformando radicalmente suas culturas originais. Justamente por isso, muitas delas encontraram forte resistência, dando origem a revoltas sangrentas onde muitos perderam suas vidas. Dentre as missões historicamente mais importantes, estão as que os católicos fundaram nas Américas, convertendo os povos indígenas em massa e dando origem a uma rica cultura sincrética, onde, no entanto, as tradições indígenas acabaram se perdendo em larga medida. Modernamente, as missões já não tendem a impor sua visão sobre as culturas nativas, mas, antes, procuram apresentar-lhes os princípios cristãos de forma compreensível para que os indivíduos possam ter uma nova opção e escolher sua crença com maior consciência e engajamento. As atuais missões dirigem boa parte de seus esforços para que se formem lideranças locais que conduzam suas comunidades para um desenvolvimento ao longo de linhas autodeterminadas, autossustentadas e em integração com seus contextos regionais ou nacionais. Com a crescente valorização recente das culturas tradicionais, as missões religiosas, muitas vezes, têm sido objeto de crítica por sua presença invariavelmente introduzir mudanças nas estruturas sociais pré-existentes. Por outro lado, sua ação assistencial e organizadora tem sido de utilidade em regiões afligidas por conflitos militares ou por fome e pobreza.

Missionários no Campo

Guiné-Bissau

Um dos países mais pobres do mundo, a Guiné-Bissau, na costa oeste da África, teria o segundo turno das eleições no dia 29 de abril, não fosse um golpe de Estado dado pelos militares que prendeu o candidato à presidência, o primeiro-ministro Carlos Gomez Júnior, e o presidente interino Raimundo Pereira.

Os tentáculos sufocantes da crise político-militar na Guiné-Bissau atingiram em cheio uma missão catarinense da Assembleia de Deus em São José que estava naquele país para prestar solidariedade aos obreiros africanos da igreja, há cerca de um mês. Por outro lado, descortinaram o trabalho voluntário de “formiguinha”, feito corpo a corpo por milhares de missionários.

Independentemente de cor, credo, raça ou religião, os missionários têm uma tarefa em comum: o de operar em outras cidades, outros Estados, outros países. Parece que o conceito pressupõe um deslocamento geográfico, o caminhar de um lado para outro, constante e contínuo, como testemunham a seguir o obreiro da Assembleia de Deus em São José Eduardo Soares.

Guiné. Administrador Eduardo conheceu outra realidade

A miséria que agride

Ao passar de carro por uma das ruas de Bissau, capital da Guiné, ele viu um deficiente físico, negro, quase raquítico, se arrastando pela calçada, sem cadeira de rodas e em meio à sujeira.

A poucos metros dali, o esgoto corria a céu aberto. Intensa e viva, a miséria africana despertou uma forte paixão pela dor alheia em Eduardo Soares, 36 anos, florianopolitano que busca ajuda humanitária para o sofrido povo do outro lado do oceano Atlântico.  Administrador de empresas, Eduardo é, ao mesmo tempo, ativo obreiro na igreja Assembleia de Deus de São José e presidente da Associação do Centro Educacional Artur Montanha, que atende 70 crianças em berçário, jardim de infância e pré-escolar até seis anos de idade. Recentemente ele foi à África em missão e não pôde sair da Guiné-Bissau porque as fronteiras do país foram fechadas pelo militares.

“Servir em missão é uma questão pessoal para atender à necessidade de um ser humano que não tem perspectivas de vida”, diz.  Ele estava no grupo de 10 catarinenses que chegou a Bissau no dia 9 de abril, tinha retorno marcado para o dia 15, mas só conseguiu embarcar de volta ao Brasil 12 dias depois, quando o espaço aéreo foi reaberto.

Durante o tempo que permaneceu lá, o missionário percorreu as ruas da capital e sentiu a África de verdade. “Eles comem uma vez por dia, e as pessoas ficam paradas na frente das casas, na rua, por não terem onde trabalhar”.  As dificuldades não desanimam Eduardo, que pretende voltar para a Guiné. “Quero levar apoio emocional e financeiro ao pastor Cláudio Silva, que está lá há 17 anos”, declara. Porém, ele não sabe se vai aguentar a falta de alimentos, água, energia elétrica e rede de esgoto.

“O pior será tomar banho frio, porque não tenho esse hábito”.  Em Bissau, a congregação alugou uma casa para abrigar as crianças, principalmente meninas, que são vendidas pelos pais por arroz. A intenção é reformar o local e manter o abrigo com doações para a compra de arroz, feijão e galinha. A experiência fez Eduardo dar mais valor às pessoas e à família. “Os africanos são muito amáveis e carinhosos. Eu oferecia chocolate, mas as crianças preferiam colo e carinho”, recorda.

Fonte: Janine Turco/ND

 

Missionário do campo de Jatobá SC.

Igreja Evangélica Assembléia de Deus Jaborá SC.

É com muita alegria que eu volto a escrever para vocês, informando a cerca de nosso trabalho missionário no campo de Jaborá. Deus tem nos abençoado grandemente, pois temos alcançado algumas pessoas para Jesus. Temos vários pontos de culto no interior. Muita pessoa tem; vindo ouvir a palavra de- Deus. Alguns tem sido curado e libertado pelo poder de Deus. Estou escrevendo-lhe pastor para agradecer pelo auxilio missionária, pois tem servido de grande benção para o nosso campo. Pois aqui as entradas são baixas, sem a sua ajuda não teríamos condições de prosseguir. Peço, POR FAVOR, Pastor, não para de nos ajudar! Continue, pois estamos orando pelo senhor e sua igreja, para que continue sendo ganhadores de almas.

OBS: Temos uma necessidade de uma moto para o missionário Luiz de Campos.

O Pastor José e o Missionário com todo o campo de Jaborá lhe agradecem!

Pr. José de Campos

Presidente

Fones: 49 35261639 ou 99126798

Rua Waldemar Poyer nº 185 Centro CPF 89.677-000 Jaborá Santa Catarina

Relatório da obra do Senhor em Pranchita PR.

Três famílias que recentemente aceitaram a Jesus.

O Irmão de Gravata é o Missionário Darcí da Rosa, o qual recebe auxílio do departamento
de Missões da Igreja de São José.

Se os irmãos continuarem nos ajudar, ficaremos muito grato pois a nescecidade é
muito grande.

Muito obrigado Pr. Ezequiel Montanha e ao Departamento de Missões.

Etaremos enviando relatórios da obra do Senhor.

Pr. João Maria Saldanha.

 

Cuba. Cidade da Habana, 18 de março de 2011.

De: Pastores Igreja Evangélica Pentecostal, Assembleia de Deus

“Confiança em Deus” de Cuba. Moisés Rodríguez e Raquel Muñoz.

A: Irmãos de Anita Garibaldi

Um caloroso comprimento em nome de quem nos une Jesus Cristo o Senhor, desejando que todos vossos sonhos sejam feitos realidade.

Esta carta tem como objetivo agradecer vocês pelo envio feito a traves do irmão Luciano a nosso país, com todas as valiosas ofertas para nossos ministros. Os dias tem sido muito especiais com o irmão, e esperamos que nas próximas ocasiões possam vir vocês também para ir conhecendo a todos e compartir com vocês.

Ficamos muito gratos pelas colheitas que fizeram nas igrejas para poder fazer chegar até nós todos esses recursos tão valiosos. Em breve estaremos fazendo chegar os dados dos novos ministros adoptados para este novo programa de ajuda.

EM NOME DE TODOS UM ABRAÇO CHEIO DE GRATIDÃO.

Se for possível leiam esta carta na igreja e comuniquem nossa mais profunda gratidão.

Sem outro assunto para tratar, nos despedimos rogando ao Pai das luzes que a sua multiforme graça seja derramada sempre sobre vossas vidas, famílias e congregações.

Amamos vocês e sempre nos lembramos de vocês com carinho. Deus lhes abençoe e guarde:

Seus irmãos Moisés e Raquel.

Como presente: Salmo 20.

Carta de Agradecimento

Cidade da Habana, 8 de outubro de 2010
Pastores: Pedro e Mabel Sotolongo.
Igreja: Cristo Quebra as Correntes (Peñalves)
Por esta carta agradecemos pela ajuda económica que nos tem dado, tem sido uma
grande benção para nossa família. Estamos pastoreando a congregação nos
povoados de Campos, Os Mangos e Peñalves, onde trabalhamos com mais de 80
pessoas, o mês passado tivemos uma campanha evangelística onde recebemos 119
crianças para a igreja e para honra do Senhor Jesus Cristo, Mais de oitenta por
cento fez a oração da fé.
O trabalho na nossa região está difícil por causa da distância e o escasso
transporte, mais o Senhor nos trouxe a este lugar onde estamos há dez anos e meio para levar a
cabo a obra de Deus neste lugar.
Estou muito grato em nome do Senhor desejamos grandes bênçãos para vocês com
amor em Jesus Cristo.
Pedro Sotolongo
Presidente da igreja

Peñalves Guanabara.

Para o irmão Pr. Ezequiel Montanha e a sua equipe de trabalho.

De: Os pastores do Presbitério de Pinar del Río que vocês sustentam
economicamente.
Presbítero: Pedro Carbonell
Pastores atendidos: Eladio Castro, Eliécer Valdés, Luis Antonio Rojas, Jorge
Luis Hernández García, Raúl Montanos Rodríguez, Alexis Lemus, Elías Morales,
José Luis Abreu, José Ramón Hernández, Andrés Machin e Antonio Pinas.

Queridos servos do Altíssimo: Estamos felizes e agradecidos por formar parte do grupo de
pastores afortunados que recebem fielmente cada mês ajuda econômica de 30,00
dólares que vocês nos enviam. Para nós isto é de uma grande importância e benção porque nos encontramos trabalhando em lugares muito pobres e complicados do país no presbitério de Mantua Estado de Pinar del Río.  Queremos que saibam que sempre esta ajuda nos serve para alimentar nossa família e nos ajuda a subsistir no meio da crise econômica na qual se encontra nosso país. Por favor levem os nossos agradecimentos a todos os que cooperam para que nós possamos continuar servindo ao Senhor. Nós temos certeza que o Senhor vai lhes recompensar de maneira muito grande. Deus abençoe vocês e lhes guarde:

Somos seus irmãos e conservos: Os pastores do presbitério de Mantua Pinar del Río.

Ajude-nos a manter esta obra.
BANCO DO BRASIL

BANCO 001
AG.:5251-5
CC.:118.210-2
IGREJA ASSEMBLEIA DE DEUS EM SÃO JOSÉ

Pular para a barra de ferramentas