O Avivamento da Rua Azusa

O chamado Avivamento da Rua Azusa, ocorrido em Los Angeles, nos EUA, há 100 anos, foi um dos mais importantes movimentos evangélicos da história da igreja. Ali, pessoas de todo o pais e até do exterior vinham presenciar a manifestação do poder de Deus.

História da Assembléia
de Deus no Brasil

Assembléia de Deus chegou ao Brasil por intermédio dos
missionários suecos Gunnar Vingren e Daniel Berg, 
que aportaram em Belém, capital do Estado do Pará,
em 19 de novembro de 1910, vindos dos EUA.

André Bernardino, o pioneiro!

Bernadino tinha um sonho: tornar-se padre Assim, com dezessete anos deixou a cidade de Itajaí com destino ao Rio de Janeiro para estudar com os Irmãos Maristas.

Breve serei um respeitado sacerdote da igreja Católica”, pensou o jovem rapaz ao pisar no pátio do Seminário. Porém, sua carreira teológica cedo começou a ruir. Após alguns meses de estudo envolveu-se negativamente com a vida noturna carioca. Fugia quase todas as noites em direção às escolas de samba e, em uma dessas experiências com a boemia, acabou contraindo tuberculose.

Quando os padres souberam da situação clínica do aluno catarinense, expulsaram-no do colégio. O que fazer? Para onde ir? Com os dois pulmões já afetados pela doença, aceitou a sugestão de um colega para morar em um camarote do navio Boa Vista, de propriedade de um empresário joinvillense. A embarcação estava ancorada, para reforma, no porto do Rio de Janeiro e, temporariamente, havia se tornado numa espécie de alojamento para pessoas “sem teto”.

Era o mês de agosto de 1930. Um dos operários do cais ouviu falar de uma igreja que “curava”. Compadecido do jovem catarinense, entrou em contato com a Assembléia de Deus em São Cristovão e, dias depois, apareceria naquele porão de navio os irmãos Daniel Berg, Gunnar Vingren e Paulo Leivas Macalão.

Os missionários oraram pelo moribundo André que foi curado imediatamente. Levaram-no para as instalações do templo da Assembléia de Deus em São Cristóvão, onde permaneceu morando por sete meses.

Com a saúde milagrosamente restaurada e dando provas irrefutáveis de sua conversão, Bernardino passou a receber treinamento bíblico ministrado pelo pastor Vingren. Músico experiente, André tocava com habilidade vários instrumentos, enriquecendo os cultos em São Cristóvão.

Mesmo sabendo que seus pais não queriam ouvir falar do filho “herege”, que havia abandonado a “Santa Igreja Católica”, André decidiu retornar a Itajaí para visitar a família. No último culto que participou no Rio de Janeiro, Deus falou profeticamente dizendo que o usaria para dar início a uma grande obra evangelística.

Assim que chegou em Itajaí, foi recebido por uma tia que morava próximo ao cais do porto e, naquele mesmo dia, aquiesceu ao convite da tia descrente para realizar um culto. Duas primas, curiosas para saberem como era uma “missa dos crentes”, participaram também da reunião e ajudaram a cantar os hinos.

O irmão André Bernardino, após pedir permissão para fazer uma oração, abriu sua Bíblia no Evangelho de Marcos, capítulo dezesseis, e pregou um dos primeiros sermões pentecostais em terras catarinenses. Neste culto duas pessoas tomaram a decisão de seguir a Jesus Cristo:  Herculano e Cornélio. Começava então, a história das Assembleias de Deus em Santa Catarina, no dia 15 de março de 1931.

Uma história de amor e fé;

Era o ano de 1954, na casa da irmã Filomena, bem à beira do mar, em São José da Terra Firme que o Pastor Isaac Kolenda Lemos ministrou o primeiro culto pentecostal.


Lugar humilde. “A gente orava e Deus respondia […] Era uma casinha na beira do mar, uma casinha em cima de um barranco.”


Pastor Isaac se referia a casa de Jacob Quint, com toda a sua família que o recebeu para cultuar ao Senhor na Rua Frederico Afonso, nº 105, o endereço dos primeiros cultos até 1964.


Dez anos depois, em 22 de março de 1964, foi inaugurada a 1ª igreja. Na foto, obreiros de São José, ano de 1972, em frente à nova igreja. Dirigente: Evangelista Ivo Ponchielli.


Os cultos eram inicialmente feitos nas quartas feiras à noite e nas manhãs de domingo. O trabalho prosperou e a “igrejinha”, como era chamada carinhosamente, passou a ser uma referência para o Movimento Pentecostal na região continental sul da grande Florianópolis. Foto, Pr. João Quint na primeira igreja em agosto de 1976.


Eram tempos de grandes perseguições, São José da Terra Firme era uma região de catolicismo muito tradicional. Era comum as pessoas que passavam em frente à igreja zombarem com gestos e palavras. Alguns, segundo o Pastor João Quint, até jogavam pedras. Na foto, irmãos da primeira igreja.


Foi em São José que surgiu o primeiro Círculo de Oração da grande Florianópolis. Mulheres que oravam pela propaganda da Mensagem da cruz. Na foto, a 1ª Confraternização do Círculo de Oração Rosa de Sarom.


E a igreja crescia em graça e conhecimento! Na foto, Escola Bíblica Dominical na primeira igreja, em outubro  de 1983.


Presidiram o campo de São José desde a sua emancipação em 1990, o Pr. Valdumiro Souza, Pr. Djalma Cunha, Pr. Arcelino Victor de Mello, Pr. Juvenil dos Santos Pereira, Pr. Antônio José de Bem e, atualmente, o Pr. Ezequiel Montanha desde janeiro de 2000.


Em janeiro de 2000, o Pr. Ezequiel Montanha assumiu então a Igreja Evangélica Assembleia de Deus São José como seu 6º Presidente. Como em todos os lugares pro onde passou, imprimiu um ritmo bastante intenso de trabalho. Hoje, colhemos os frutos desses 18 anos de incansáveis atividades.


Um rebanho de, aproximadamente 6.000 ovelhas exige atenção e cuidado; sendo assim, o Pr. Ezequiel investiu na reforma e aquisição de templos. Hoje, contamos com 42 delas por toda cidade além das sub congregações.


Com uma administração profincua e transparente mais uma estrutura departamentalizada, a fim de bem utilizar as diversas aptidões e talentos de sua membrasia, a AD São José vem investindo mais que em templos feitos por mãos humanas, a visão do Pr. Ezequiel tem sido de investir em vidas. Começa com capacitações e qualificações teológicas de obreiros, professores e lideranças da AD São José, passando por multiplicação da visão do Projeto de Discipulado.


São mais 25 anos de Emancipação Eclesiástica da AD São José, 18 destes sob a gestão do Pr. Ezequiel; e ainda mais de 40 anos de ministério e casamento; somos felizes e sentimo-nos inspirados em ver nosso pastor servindo ao Senhor com dedicação e doando-se ao máximo pelo Reino, deixando a marca de um zelo sacro, retidão doutrinária, transparência administrativa e formação de novos líderes.

© AD São José – Onde a família e a felicidade se encontram 2018